Entenda o que é big data e como ele vai ajudar seu negócio!

Você sabe o que é big data? O termo é uma buzzword mundialmente listada na technology trends e, no Brasil, o seu conhecimento veio a se propagar mais fortemente nos últimos 5 anos, como mostra o gráfico com dados do Google Trends:

O big data é uma área do conhecimento que vai muito além de ser apenas um grande amontoado de dados. A cada dia que passa, ela tem se tornado uma prática essencial em toda empresa que possui desafios de dados envolvendo os 5V’s (Volume, Velocidade, Veracidade, Variedade e Valor).

Ele, assim como o machine learning, é uma tecnologia fundamental para a inteligência de dados. Essas práticas tecnológicas hoje são fundamentais para qualquer empresa que precise se destacar no mercado digital.

O fato é que as organizações que apostam na construção e expansão de ativos de Big Data podem se beneficiar com as oportunidades que as informações trazem, gerando insights e melhorando a experiência de compra do cliente.

Neste artigo, vamos explicar de forma esclarecedora o que é big data e como a tecnologia pode ajudar a impulsionar os números do seu negócio. Vem com a gente!

Afinal, o que é Big Data?

Para que serve big data? Você sabe que precisa da tecnologia quando possui diversos conjuntos de dados, de várias origens, que são muito grandes para gerenciar e analisar de maneira econômica em um período de tempo razoável.

Um exemplo claro da importância da tecnologia em detrimento da análise de dados manual aconteceu quando o US Census Bureau, em 1880, estimou que precisaria de 8 anos para coletar e processar todos os dados da pesquisa do censo daquele período. 

Ao finalizar o censo, eles previram que, para a próxima pesquisa, ainda precisariam de mais de 10 anos, o que tornaria o processo inviável.

Portanto, não é uma questão de apenas ter muitos dados. É um conjunto de fatores que, em 2001, o Doug Laney definiu em um artigo como os 3V’s do big data — conjunto esse que vem evoluindo com o tempo e, hoje, já podemos considerar 5V’s.

Os 5V’S estão listados abaixos e são fundamentais para se entender o que o é big data:

Volume

Nós geramos 2.3 trilhões de Gigabytes de dados por dia. Para você ter uma noção, apenas no Facebook são 10 bilhões de mensagens, 4.5 bilhões de curtidas e 350 milhões de fotos compartilhadas diariamente. 

Em 2020, existiam disponíveis cerca de 40 trilhões de gigabytes de dados e a quantidade não para de crescer.

Viu para que que serve big data? Os números não mentem: os tempos pedem tecnologias capazes de processar um grande volume de dados.

Velocidade

Refere-se a rapidez com que os dados são criados, processados e consumidos. A cada dia que passa, o fluxo de informações e interações tem se tornado cada vez mais instantâneo, seja ele dentro de uma corporação como em análises de fraude, como no controle automático de tráfego nas ruas. 

A arquitetura e ferramentas de big data possibilitam analisar os dados no instante em que são criados, sem ter que armazená-los em bancos de dados.

Veracidade

Ter muitos dados em volumes diferentes chegando em alta velocidade é inútil, caso alguns deles estejam incorretos, pois os mesmos podem causar muitos problemas para as organizações e também para os consumidores. 

Portanto, as empresas precisam garantir que os dados estejam corretos e que as análises executadas nos dados sejam também verdadeiras. Especialmente no processo de tomada de decisões automatizadas, onde nenhum ser humano está envolvido, você precisa ter certeza de que os dados e as análises estão corretos.

Variedade

No passado, todos os dados criados eram estruturados e perfeitamente ajustados em colunas e linhas. Mas esses dias acabaram. 

Atualmente, 90% dos dados gerados pelas organizações são não estruturados (E-mails, Telefonemas, Redes Sociais). 

Hoje eles vêm em muitos formatos diferentes: dados estruturados, semi-estruturados, não estruturados e até mesmo dados estruturados complexos. Portanto, para que entender o que é big data e aplicá-lo neste contexto? Porque a tecnologia é capaz de armazenar e processar dados estruturados ou não, independente do formato.

Valor

O último V, mas não menos importante: valor!

Todos esses dados disponíveis criarão muito valor para organizações, sociedades e consumidores. A McKinsey afirma que o valor anual potencial do Big Data para a US Health Care é de US$ 300 bilhões — mais do que o dobro do gasto anual total em assistência médica da Espanha. 

Também mencionam que o Big Data tem um potencial valor anual de € 250 bilhões para a administração do setor público na Europa.

Eu preciso de big data na minha empresa?

A necessidade de utilizar soluções Big Data é iniciada com perguntas:

  • Qual é o meu volume de dados mensais ou diários?
  • Qual é a velocidade de aquisição e leitura dos dados que eu preciso?
  • Eu tenho algum artifício para aferir a veracidade dos dados?
  • Com quantas bases de dados eu preciso conectar o meu negócio?
  • Esses dados orientam a tomada de decisão?

Essas cinco perguntas baseadas nos 5V’s são fundamentais para o mapeamento inicial da sua empresa e, com elas, você terá um maior entendimento do seu cenário atual para que futuramente essas informações lhe sirvam de suporte para traçar um planejamento estratégico.

O que é Big Data na prática? Veja cases de sucesso

 Citaremos agora três exemplos de empresas que usam big data. Usaremos o exemplo da Reuters, da Elo e da Telefônica Espanha. Vamos lá!

1) Thomson Reuters

A Thomson Reuters é a líder mundial em fonte de notícias e informações para os mercados financeiros, além de um exemplo clássico de empresas que usam big data.

Atualmente, o Twitter é uma ferramenta chave quando falamos em novas fontes de notícias. Para jornalistas e empresários, é um desafio analisar de forma rápida os milhares de tweets enviados a cada segundo, assim como separar as publicações reais das que apenas estão disseminando fake news.

Foi pensando nisso que a Thomson Reuters desenvolveu um modelo baseado em machine learning e práticas avançadas de analytics para sanar essa dor dos jornalistas e outros profissionais desse setor.

Sem uma tecnologia de big data para armazenar os dados necessários e gerar respostas esperadas que indicassem se um conteúdo era fake news ou não, a empreitada seria impossível.

2) Cartão Elo

Abrindo um novo fluxo de receita e aprimorando a experiência dos seus clientes com analytics em tempo real, a Elo é um ótimo exemplo de big data atuando na prática.

O Cartão Elo, uma das maiores empresas brasileiras de cartão de crédito, tem como objetivo melhorar a experiência do consumidor, proporcionando ofertas com atendimento personalizado antes que os clientes cheguem ao seu cartão de crédito.

Por exemplo, durante a janela de uma a duas horas em que clientes estão no restaurante, a Elo deseja enviar a clientes promoções de comidas ou bebidas nas quais eles teriam interesse. 

Isso requer um ambiente de análise em tempo real, que possa processar dados de fontes como canais sociais ou beacons comerciais, sinalizando informações sobre os comportamentos e locais ao vivo dos consumidores.

Essa medida não seria possível sem o mapa de jornada do cliente, que é uma prática orquestrada com tecnologia big data e inteligência artificial para vendas. O mapa traça um perfil de compra do cliente a partir do histórico de interações dele com a marca ou algum produto associado a ela.

Isso permite ofertas pontuais e personalizadas que tornam mais prazeroso, eficaz e fluido a experiência de compra do consumidor.

Essa ação proativa da Elo só foi possível com a aquisição de big data e técnicas de análise de dados de clientes.

3) Telefônica

Outro exemplo de big data é o da Telefônica Espanha. O desafio da companhia com o projeto de big data era oferecer uma melhor experiência para os usuários. Para isso, ela precisa aplicar uma tecnologia para entender as necessidades dos clientes.

Foi necessário aplicar uma tecnologia de big data com capacidade para analisar um grande volume de dados em tempo real

“Se quiséssemos lidar com mais de dez bilhões de registros por dia, o custo era impraticável com outras técnicas além de uma plataforma de big data”, disse Carlos Morrás, executivo da empresa.

Agora que entendi o que é big data, como usar a tecnologia na minha empresa?

A consultoria Oncase Labs, fundamentada na tecnologia de big data,  é especializada em soluções de cocriação e desenvolvimento de produtos analíticos, sistemas de predição ou prescrição sob medida. 

Por meio de uma implementação em 4 fases, prosseguida por atendimento contínuo, a consultoria estabelecerá indicadores que auxiliam os gestores a otimizar processos e a seguir práticas de como reduzir custos na empresa.

O Oncase Labs atua na construção de métricas para acompanhamento dos produtos e práticas implementadas, além de estabelecimento de co-governança da cultura data-driven junto ao cliente e apoio contínuo.

Entre as principais funcionalidades da consultoria no intuito de diminuir custos estão:

  • a previsibilidade de churn (a métrica que define o quanto uma empresa perdeu de receitas ou clientes);
  • monitoramento e análise de concorrentes;
  • previsão de demanda;
  • otimização de estoque;
  • efetividade de rota;
  • manutenção preditiva;
  • projeção financeira;
  • identificação de indícios de fraudes nas finanças;
  • escoreamento para crédito;
  • e identificação de sonegação fiscal.

Com uma consultoria pautada em tecnologias de big data, você pode usar dados relevantes para monitorar e melhorar a performance desses diversos setores da sua empresa, como os listados acima.

Tenha insights e soluções preditivas com inteligência de dados ao seu lado!

Se quiser se aprofundar mais no assim e melhorar os indicadores de venda, converse com um especialista da Oncase para avaliar uma solução inteligente para o seu negócio.Curtiu o conteúdo? Mostramos neste artigo o que é big data e como essa tecnologia pode impactar na performance de empresas no mercado digital. Para mais conteúdos assim, continue acompanhando nosso blog. Até a próxima!

Henrique Tavares
Henrique Tavares

4 Comments

Write a Reply or Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *